Literatura e opinião em um só lugar

Vale a Pena Ser Blogueiro Literário?!

Vale a Pena Ser Blogueiro Literário?!

jun 1, 2015

Antes de entrar nas questões relacionadas ao tema, gostaria de esclarecer algo sobre a própria natureza dos textos escritos aqui. Ao contrário do que possa parecer a grande maioria dos fatos usados para a elaboração dos artigos no site, surgem de ocasiões vivenciadas em meu cotidiano; seja uma conversa com um amigo leitor, um texto lido em outras sites, notícias relacionadas ao mercado literário, ou um comentário acerca de certo tema polêmico ligado ao tão amado mundo dos livros. Pois bem, quis enaltecer isso porque foi justamente dessa forma que me ocorreu a ideia para escrever o artigo de hoje. Pra ser mais claro, recentemente um amigo divulgou em seu perfil em uma rede social comentário de alguém perguntando à outros usuários como fazer para conseguir parcerias com editoras. Até aqui nada anormal. O que me causou estranheza não foi isso, mas a confissão do mesmo mediante o comentário de outro usuário que afirmou ser preciso ter um blog/vlog para ter chances no processo de escolha. Diante da resposta, o primeiro simplesmente afirmou “não quero ter blog, quero só a parceria pra ficar recebendo os livros de graça!”. Sim, meus amigos, isso mesmo.

Agora, por incrível que pareça isso não é o mais perturbador em relação ao fato, pelo contrário, o mais irreal nisso é a recorrência desse tipo de atitude por parte de pessoas que acham o investimento dado pelas editoras algo fácil, simples de se obter. Não é de hoje que tem gente querendo as recompensas do enorme trabalho de se gerenciar um blog, mas sem o mínimo de esforço relativo à isso, bonito, não?! Bem, motivado por esse infeliz acontecimento, resolvi escrever sobre – em minha humilde opinião -, o que é ser blogueiro literário, e quais são as vantagens e desvantagens da prática. Vamos ver se com isso, temos menos gente achando que é moleza conquistar as coisas boas de se dedicar à atividade. Importante, porém, esclarecer que mesmo tendo mais de um ano de blog, e tendo recebido vários elogios de editoras e autores à nível nacional, não possuo parcerias até hoje. Importante frisar isso, pois pode influenciar sua percepção mais a frente nesse texto. Dito isso, vamos lá…

Apertar esse botão e criar um blog é apenas o primeiro passo de uma looooonnnngaaaaa jornada!

Apertar esse botão e criar um blog é apenas o primeiro passo de uma looooonnnngaaaaa jornada!

Pra começar existe uma pergunta essencial sobre a questão, e que deve ser respondida logo de inicio com o intuito de dar ordem de importância ao tema debatido, portanto “É fácil ter um blog?”, perguntam alguns. Digo, sem dúvidas, NÃO. Isso, presumindo que sua página terá o mínimo de qualidade, certo? Se não, ai é outra história. Ora, pensando em termos de literatura, acredito em uma dificuldade ainda maior, porque exige além de certo conhecimento de escrita, muita leitura, que demanda um tempo precioso pra quem trabalha, estuda, namora, e tem uma vida social que exige o mínimo de participação. Óbvio, ler não consiste em uma dificuldade, mas fazer isso com a obrigação de resenhar de maneira aceitável e em tempo hábil, algumas vezes pode consistir um esforço sim. Agora, vamos à outro questionamento pertinente “É possível ganhar dinheiro com esse trabalho?” Sim, mas não é – nem de longe – tão fácil quanto se parece para quem está de fora. Um conteúdo muito interessante – que ilustra bem  questão -, para quem deseja saber mais sobre é o excelente podcast do site Jovem Nerd intitulado Profissão Blogueiro, em que alguns dos principais criadores de conteúdo da internet brasileira falam sobre sua história com a ferramenta, e como eles chegaram onde estão hoje (recomendo demais). Quis partilhar isso, pois a fala dos participantes ilustra muito bem vários pontos que constituem a essência do que é criar, e manter um blog/vlog.

Em resumo, a maior verdade dita na ocasião é relacionada ao amor envolvido no ato, ou seja, antes de qualquer coisa ter um canal de criação de conteúdo deve ser motivado intrinsecamente pelo gosto dedicado ao tema em questão, em nosso caso a literatura. Começar uma coisa já pensando nas vantagens obtidas graças a ela, é a melhor maneira de fazer errado, sendo ainda por cima ruim para o assunto relacionado. Em palavras claras, se você quer ter um blog literário só pensando nas parcerias, certamente sua qualidade será pouca, ou nenhuma, mais prejudicando a literatura que ajudando, pode acreditar! Outro ponto relevante, e que é debatido no podcast acima, é relacionado aos ganhos obtidos com o blog; afinal, querer ter uma compensação pelo trabalho ali realizado não tem nada de errado. Pelo que é visto de modo geral, é possível ter lucros financeiros, ou parcerias com as editoras, mas isso demora, e muito na maioria das vezes! Falando em literatura, basta observar os blogs/vlogs que possuem mais editoras como suporte. Na imensa maioria deles, o trabalho dedicado ali é superior à uma década! Assim, não pensa que vai ser rápido, ou fácil. E isso justifica mais uma vez a necessidade do amor pelo que é feito, as vantagens devem ser uma consequência de algo feito por paixão, e não apenas visando-os. Ficou claro?

O trabalho no blog vai bem além da escrita, divulgar, por exemplo, faz parte.

O trabalho no blog vai bem além da escrita, divulgar, por exemplo, faz parte.

Quando comecei a escrever sobre literatura nem sabia que era possível fazer parceria com as editoras, e receber livros para análise, de verdade. Pouco tempo depois soube, e não nego que fiquei bem empolgado com a ideia, porém, nunca foi o motivo principal para criar conteúdo relacionado, e nem deve ser. Na verdade, escrever sobre literatura sempre foi uma vasão para minhas leituras pessoais, e uma forma de me conectar com outros leitores, se você deseja isso, ser blogueiro é uma baita vantagem. Claro, as parcerias obtidas são um incentivo incrível e que faz tudo valer a pena em determinados momentos. No entanto, ser convidado para falar de literatura em eventos bem organizados, receber elogios de grandes autores que você admira, ver que pessoas estão adquirindo livros, e lendo, só por suas indicações, são compensações incríveis, sem dúvida. Pra mim, bem maiores que parcerias com editoras, na verdade. As vantagens são inúmeras se você faz aquilo por amor á literatura, e não pensando somente em ter vantagens financeiras.

Todavia, nem tudo são flores no meio dos blogs literários, se você deseja ter um espaço seu para falar de sua paixão pelo livros, saiba que pode se decepcionar em alguns momentos, e deve estar preparado para isso. No meu caso, a maioria dos problemas que tive foram relacionados à inveja – isso mesmo – de outras pessoas ligadas à divulgação da literatura – por incrível que pareça. É importante entender a existência, como em todo lugar, de indivíduos (ou grupos) cheios de problemas, e que enxergam em tudo uma ameaça. Assim, surgir para a “cena” blogueira como algo capaz de ameaçar a presença deste tipo de gente, automaticamente lhe põe como inimigo, mesmo involuntário. E mais, quanto mais relevância se conquista, mais inveja é direcionada à você, pode acreditar! Isso, fora os comentários presunçosos que podem surgir ocasionalmente, que nunca foram problema pra mim, mas recorrentes em blogs/vlogs maiores. Ou seja, quanto mais você chamar a atenção, mais chances de atrair pessoas que não vão gostar do seu trabalho por inúmeros motivos, isso é normal em qualquer lugar.

Em suma, ter um blog literário e algo que exige muita, mas muita dedicação! Pode acreditar. É um trabalho capaz de consumir mais que seu emprego formal, muitas vezes. E mais, sem muitas recompensar financeiras, mesmo quando se tem parcerias com editoras (o que também é muito difícil). Mas posso dizer algo de coração, vale muito a pena se você faz por paixão. Já perdi as contas de quantas vezes o blog me salvou de um dia ruim, ou me fez conhecer pessoas capazes de mostrar que o mundo pode ser um lugar melhor, mesmo com indivíduos odiosos vivendo nele. Porém, também já tive muita raiva por conta dele, em especial, por ter de defendê-lo de pessoas inescrupulosas, faz parte. Não pense que é algo específico à mim, quem dera. No fim, se dedicar à isso vai muito além da compensação em livros por parte das editoras – embora seja bacana receber os lançamentos delas, admito. Ser blogueiro literário é um ato de amor dedicação e devoção, acima de tudo. Então, se estes não são os motivos que lhe impulsionam, pense em algo mais proveitoso para se dedicar, e boa sorte!

14 Comentários

  1. Putz já pensei em ter blog mas só de imaginar o trabalho que dá desisti na hora, hehehe. Massa o texto cara continue assim. Abraço

    • Sérgio Magalhães /

      Realmente cara, gostar de ler não necessariamente credencia alguém a ser blogueiro literário, é muito difícil, de verdade. Mas se tiver essa vontade sempre, tente cara, nem que seja algo pequeno, pessoal.

  2. Ficou bem bacana esse texto.
    Não adianta, sempre que você se propõe a fazer alguma coisa, é preciso fazer por amor. Fazer um blog por interesse não vai ser motivação pra continuar postando e criando conteúdo.
    Esse texto é bom pra por os pés no chão e não se iludir com as arcerias e etc. Alem disso, se você realmente gostar de escrever num blog, por mais trabalhoso que seja, vai ser muito divertido.

    • Sérgio Magalhães /

      Fico muito feliz que tenha sido bem compreendido. É bem isso mesmo, a vontade é a essência desse trabalho, sem ela, o blog não dura nada.

  3. Ter blog é um trabalho sem fins lucrativos, mas ainda assim um trabalho. Você faz por amor e ponto, fazer isso por interesse sem estar disposto a suar por le não tem o mínimo de lógica. Ainda mais quando se trata de parcerias: as pessoas esquecem que é uma coisa mútua, que não é só receber os livros e se divertir, você tem obrigações com os parceiros, têm prazos. É legal receber livros de graças ? É muito! Mas também é muito mais trabalhoso, e em algumas editoras com uma demanda maior de lançamentos é quase impossível alcançar seus critérios. Conheço blogueiras que deram graças a Deus por perderem parcerias, porque não estava dando conta de manter o nível pedido por determinada editora e ter uma vida.
    Parabéns pelo texto. Super centrado e Necessário !

    http://www.itgeekgirls.wordpress.com

    • Sérgio Magalhães /

      Disse tudo Evellyn! É comum esquecer como dá trabalho ter parcerias, cumprir prazos, divulgar, manter qualidade, etc. É um benefício cercado de obrigações agregadas.

      Obrigado pelo comentário 🙂

  4. Li mais cedo e até divulguei, achei muito bom. É realista, verdadeiro. Já me vi na mesma situação que você e penso da mesma forma. Ser blogueiro não é fácil, especialmente o literário e tem gente que não entende (ou não quer entender) isso. Tudo tem sua fase, mas pra gente é todo dia. O que faz os blogs serem bons, na minha opinião, é a qualidade do que o blogueiro escreve e a capacidade dele de neutralizar as opiniões negativas e lidar com colegas da área. Mesmo que saber ser amigo incomode, sabe. Enfim, gostei bastante. o/

    • Sérgio Magalhães /

      Obrigado por suas palavras Carolina, contribuíram bastante para a visão que quis passar no texto. Estou muito feliz que as ideias ficaram claras, e que pude repassar com fidelidade as dificuldades que passamos nesse trabalho tão amado e estimado 🙂

      Abraço

  5. Realmente se a pessoa não gostar muuuuito de ter um blog, ele não vai pra frente. é a qualidade do seu ‘serviço prestado’ que irá trazer parcerias e quem sabe render um $$. muita gente não entende isso.
    parabéns pelo texto!

    já tive blog quando adolescente na época que bombou o blog da uol kkkk. hj, ainda escrevo, mas pra guardar minhas memórias e não para divulgação..

    • Sérgio Magalhães /

      É bem isso mesmo Layana, haja trabalho e perseverança, mas tem suas recompensas.

      Abraço 🙂

  6. Lys Marie /

    Olá Sérgio!
    Essa é a primeira visita que faço ao seu blog. Conheci ele depois de ouvir o Cabuloso Cast que fala sobre Literatura Fantástica. Então, depois de ouvir lá, vim aqui conferir e gostei bastante! E aí, esse artigo chamou e muito a minha atenção. Já pensei em ser blogueira literária, mas ouvi falar que dá muito trabalho. Que vou ter que encarar pessoas falando mal, editoras com prazos para entrega de resenhas… Mas acho que o seu blog é o primeiro que vi que não possui parceria com editoras. Eu sempre tive na minha cabeça que blog = parceria com editora e ponto. Nunca tinha me ocorrido que a parceria não fosse algo necessário. Em fim, pensando aqui com meus botões, talvez um dia eu crie um blog pessoal, para relaxar e colocar as minhas viagens literárias, mas sem essa preocupação de querer algum retorno financeiro com ele. Acho que pode valer à pena! Vou te acompanhar daqui pra frente. Vi umas coisinhas bem legais que quero conferir depois, com mais calma. Parabéns pelo seu ótimo trabalho!!

    • Olá Lys, obrigado pelo comentário 🙂

      No meu caso, o blog me ajudou bastante a ler mais, e tirar minha chateações com outras coisas, é bem uma válvula de escape mesmo que faço muito pelo prazer de produzir. Já cheguei a ter parcerias, mas nunca foi minha prioridade, acho que o blog deve expressar suas leituras, seus gostos pessoais, e por isso o meu tem muitos artigos, polêmicos até, que certamente desagradam as editoras, e algumas pessoas em específico. Mas não ligo, enquanto puder fazer ele de maneira independente, e sem amarras, estarei feliz demais.

      Obrigado por acompanhar, fico muito feliz. Beijos.

  7. Muito sensato e verdadeiro o seu texto! Ser bogueiro literário é isso mesmo: trabalho, dedicação e amor. Tenho um blog a pouco mais de um ano e gosto muito! Minha meta é compartilhar leituras e meus textos, cativar leitores e fazer amigos. O que vier a mais é lucro!

    Parabéns pelo conteúdo, estou amando o seu blog!

    • Nossa, obrigado por suas palavras. Realmente, quem sabe o retorno sentimental que dá essa função, não larga. Compartilhamos das mesmas emoções quanto a isso, ainda bem 😀

      Abraço

Citações

  1. Parcerias com Editoras Valem Mesmo a Pena?! - […] ao grande esforço envolvido em se ter um site literário, já falei sobre isso no artigo Vale a Pena Ser…

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *