Literatura e opinião em um só lugar

Planeta Hulk

Planeta Hulk

fev 27, 2015

Planeta Hulk é minha história favorita do personagem! Vou sendo logo direto, pois todas as afirmações abaixo apenas reforçam a frase acima e embasam o porquê do arco ser um dos favoritos não apenas pelos fãs do gigante esmeralda, mas dos leitores de quadrinhos em geral. Ao longo de sua história, Hulk sempre representou a força bruta, sem limites, o extravasar da raiva incontida contra um inimigo iminente, ou mesmo direcionada à quem não tem culpa dos atos inconsequentes do golias verde. E todo mundo simplesmente adora isso, ou seja, ver o grandão esmagando tudo! No entanto, nesta história temos a rara oportunidade de ver o personagem de um ponto de vista novo, e bem mais interessante. Claro, ele não perdeu seus aspectos mais importantes, responsáveis por seu grande sucesso, mas o contexto e cenário desenvolvidos muito bem por Greg Pak no arco, tornaram Planeta Hulk um clássicos da própria história dos quadrinhos, capaz de encantar leitores ao longo dos anos, e continuar apaixonando fãs do Vingador.

Para quem não conhece – compre e leia o mais rápido possível após ler essa resenha, não vai se arrepender -, o enredo desta trama é consequência direta de histórias anteriores do Hulk. Na verdade seus atos inconsequentes, como destruir Los Angeles graças à uma onda de radiação gama, acabaram chamando a atenção dos Illuminate, grupo de heróis que se sente responsável pela segurança do mundo, composto pelo Homem de Ferro, Reed Richards, Raio Negro, Doutor Estranho e Namor. Em uma reunião conturbada, eles decidem exilar o Hulk à um planeta desabitado, mas onde ele seja capaz de sobreviver e ficar em paz. Para isso, usam a oportunidade em em que um satélite precisa ser consertado, e mandam a nave onde ele estava para uma fenda cósmica, acreditando assim enviá-lo para um local tranquilo. Porém, a nave do gigante esmeralda acaba caindo em Sakaar, um planeta dominado por um terrível tirano conhecido como Rei Vermelho, que oprime os habitantes locais, e visitantes, revivendo para seu deleite lutas sangrentas em grandes arenas de gladiadores. A trama de Planeta Hulk começa justamente quando ele cai no lugar e descobre que a única coisa impossível de se encontrar no planeta, é paz!

No Brasil os leitores podem comprar edições encadernadas da SALVAT e da PANINI

No Brasil os leitores podem comprar edições encadernadas da SALVAT e da PANINI

Envolvido em um regime totalitário e opressor, Hulk desenvolve outras habilidades que não a força física, aliás, no planeta existem outras criaturas capazes de fazer frente à ele em combate, o obrigando a rever suas estratégias e tirando de seu redor a aura de medo e poder supremo ostentada por ele na Terra. O cenário, baseado em muito no modelo implantado no Império Romano da época dos Cesars, demonstra ao personagem que suas ações podem ser de suma relevância para mudar o status quo daquele local, e de seus habitantes. Assim, graças à sua força, impetuosidade e astúcia, Hulk acaba se tornando um herói relutante, ajudando nas mudanças do planeta, mesmo agindo na maioria das vezes por causa própria. No entanto, para evidenciar ainda mais as mudanças de comportamento do personagem, o autor adicionou companheiros de batalha diversos, a maioria vindos de outros planetas como ele, e com personalidade opostas, enriquecendo o diálogo e definindo o viés do arquétipo heroico do Hulk na trama. Assim, suas ações impulsivas vão ganhando contornos mais sérios, e sua posição de salvador conquista ele e o direciona à um propósito naquele lugar, criando nele uma grande identificação, e sentimento de lar. Ao longo do quadrinho, as sensacionais cenas de luta contrastam com o florescimento da personalidade do “cicatriz verde”, como ele passa a ser conhecido em Sakaar, tornando a leitura rápida, fluida e pra lá de divertida.

Todavia, Planeta Hulk não seria uma obra completa – mesmo com roteiro primoroso -, sem uma arte a altura, que o diga o arco “Hulk Contra o Mundo”, que tem enredo bem bacana, mas uma arte fraquíssima de John Romita Jr. Carlo Pagulayan e Aaron Lopresti. Toda a criação de cenário idealidade do Greg Pak ficou perfeita na mão dos artistas, que abusaram do visual romano para as vestimentas e locações vistas na trama, além da incrível capacidade criativa ao reportar as diversas raças alienígenas que aparecem durante a narração. A recorrência de quadros de página inteira, seguidos de vários menores na pagina posterior, deram muita dinâmica ao enredo, especialmente, nas cenas de luta. Primoroso o trabalho completo, desde o desenho até a arte final de colorização.

A recepção à Hulk em Sakaar não foi nada amistosa!

A recepção à Hulk em Sakaar não foi nada amistosa!

Por fim, a sensação que temos ao término da leitura é que chegamos ao final de algo completo, com bastante conteúdo, e cheio de embasamento em si mesmo. Tudo é muito fechado na trama, construindo aos poucos uma afinidade muito grande com os sentimentos do gigante esmeralda. Cada página virada humanizava mais o personagem, sem com isso esquecer de seu comportamento inicial, e das motivações que o definem. Em vários momentos senti uma forte identificação dele com a melancolia sentida por Conan, de Robert E. Howard, ou seja, alguém mais forte e capaz de subjulgar fisicamente seus adversários, se percebe insatisfeito e triste pela falta de algo que não compreende. Durante alguns momentos no final do arco isso chega à sumir, mas se transforma em uma fúria brutal que o leva diretamente à já citada história contada em “Hulk Contra o Mundo”! Desta forma, quem curtiu o personagem graças aos ótimo filmes da Marvel, ou está iniciando agora sua peregrinação pela longo e prazeroso universo dos quadrinhos, com certeza Planeta Hulk deve ser uma de suas primeiras paradas, isso levando em consideração tudo que se pode achar. Em poucos casos você irá encontrar união tão bem executada entre roteiro e arte.

CAPA_2

Adquira o seu exemplar agora na MMG Comics

6 Comentários

  1. Ariel Lannister /

    Esses dias assisti uma vídeo resenha e fiquei muito afim de comprar, parece ser demais mesmo. E agora suas palavras me deram mais vontade ainda. É o destino me chamando, vou comprar assim que ver nas bancas, hehe 😛

    • Sérgio Magalhães /

      Cara, compra certa! Qualidade e diversão garantidas, não vai se arrepender 🙂

      Abraço

  2. Faz tempo que não passo por aqui né? Haha! Adoro essa história do Hulk, a forma como humanizam ele, e ele não fica só no Hulk esmaga! Li na internet, entao nao tenho tanto contato com os desenhos, vou procurar a edição impressa pra dar uma olhada! Muito boa resenha! =D

    • Sérgio Magalhães /

      Esse é o tipo de quadrinho que vale a pena ter na prateleira, pois vai querer reler pelo menos uma vez por ano. Consiga Ligia, muito bom mesmo.

      Beijos

  3. Fernando Couto /

    Rapaz vi na banca e deixei passar, acredita? Vou tentar ir na MMG e comprar lá, ouvi falar mas seus argumentos convenceram de vez para adquirir o encadernado.

    • Sérgio Magalhães /

      Não deixa outra oportunidade passar, vai perder uma excelente leitura. Passa lá mesmo e confere esse e muitos outros quadrinhos de grande qualidade.

      Abraço

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *