Literatura e opinião em um só lugar

Livrarias Diversificam Produtos e Serviços para Ampliar Lucros

Livrarias Diversificam Produtos e Serviços para Ampliar Lucros

mar 14, 2017

É notório que na atual situação do mercado livreiro as lojas relacionadas, no caso as livrarias, tem buscado cada vez mais alternativas para ampliar seus lucros, e fidelizar a presença do cliente no espaço da loja. Para isso, o espaço antes destinado apenas aos livros tem sido preenchido por outros produtos e serviços que, dentro de uma proposta mercadológica, pode agregar, ou denegrir, a livraria aos olhos do público. E é especialmente sobre isso trataremos ao longo deste artigo. Desta forma, antes de prosseguir em nossos argumentos, é importante salientar que o assunto aqui não será direcionado à venda de livros, nem a importância da relação livro e leitor; e sim sobre como a adição de novos produtos e serviços influencia no espaço da livraria, e nos hábitos dos lojistas, funcionários e clientes. Assim, excluímos da discussão abaixo fatores que, você leitor, poderia supor serem tratados em acréscimo as assertivas grafadas acima, como o valor do livro, a forma como são vendidos e como agregam à cultura do consumidor; essa discussão fica para outro momento.

Observando o assunto referente à adição de novos produtos e serviços no espaço da livraria, devemos salientar, antes mesmo de tratar sobre eles mais precisamente, de como as lojas tratam esta inclusão, e como ela pode ser coerente, e benéfica, ao espaço, assim como ao comércio que a circunda. Segundo dados levantados pela Revista da ANL (Associação Nacional de Livrarias), precedido à inclusão de novos produtos no interior das livrarias, os lojistas tem tido a preocupação de tornar esta adição mais um atrativo inovador ao comércio local, que uma concorrente para outras lojas que a circundam. Por exemplo, se existe uma loja de DVD’s bem próximo da livraria, não seria, aos olhos dos lojistas, um fator benéfico que a loja destinada aos livros trabalhasse com o mesmo produto, criando uma concorrência sem necessidade, quando outros materiais poderiam ser vendidos, dessa forma, ampliando a quantidade de oferta, e o interesse do público presente ao espaço onde se localiza a livraria.

Além dos produtos livrarias tem investido em ambientes diversificados

Além dos produtos livrarias tem investido em ambientes diversificados

Já que citamos o caso do DVD, podemos, enfim, começar a citar mais produtos que vem sendo ofertados aos clientes nas livrarias. Porém, a escolha destes materiais, antes de uma opção puramente comercial, vem seguindo uma proposta coerente ao gosto do público que geralmente frequenta as instituições livreiras. Assim, pressupondo o gosto pelo objeto cultural por parte dos clientes, tem sido frequente a adoção do produto de manifestações artísticas que sempre andaram paralelas à literatura; a música (CD), o cinema (DVD), a pintura (revistas), dentre outros. Pensando desta forma, a oferta destes materiais junto à venda dos livros, ainda segundo artigo citado na Revista da ANL, ajudaria á pluralizar o consumo de ambos os objetos, aproximando o público consumidor de música, ou cinema, dos livros, e vice-versa.

Quanto a serviços sendo implantados nas livrarias duas vertentes, ou ambas ao mesmo tempo, dividem opiniões entre os críticos. O primeiro, e mais comum deles, é o serviço de papelaria. A venda de material escolar, assim como serviços de impressão, digitação e outros serviços relacionados, não raramente são vistos como oferta em livrarias país afora. Quem se opõe a esta prática ligada ao comercio do livro, tem como principal argumento a diferença entre o público consumidor. A implantação do serviço na livraria poderia prejudicar a venda dos livros, assim como atividades que poderiam ser facilitadas nas livrarias como ajuda ao fomento à leitura, como contação de histórias, tardes de autógrafos, dentre outros. Destinando os poucos funcionários da livraria ao atendimento de ambos os serviços, no caso a venda dos livros e o atendimento à papelaria, acusa-se que o primeiro seria comprometido, pela grande demanda de tempo e atenção exigidos pelo segundo.

Decorações agradáveis e inusitadas podem ajudar nas vendas e fidelizar o cliente

Decorações agradáveis e inusitadas podem ajudar nas vendas e fidelizar o cliente

Nesse momento se faz preciso a afirmação que, ao escrever este texto, não pretendemos defender, ou incentivar, qualquer uma das questões levantadas, mas sim, evidenciar práticas do mercado, e expor as observações mais recorrentes em relação á elas. Bem, esclarecido isso, devemos agora seguir em frente, e denominar o outro serviço mais comum oferecido pelas livrarias atualmente. Em situação oposta á aceitação negativa por parte do serviço de papelaria, a implantação de cafés no espaço livreiro, é enxergado com bons olhos pelos críticos, e frequentadores destes espaços. Ao contrário das afirmações negativas a cerca da papelaria dentro da livraria, o café é enxergado como agregador, e um dos fatores que mais ajuda na fidelização do público; aumentando e muito a incidência de pessoas geralmente consumidoras de livros, e que, por conta do ponto de encontro agradável e acolhedor, voltam mais vezes, e trazem convidados que se tornam clientes em potencial.

A prova que essa união entre livraria e cafeteria é não apenas interessante, mas essencial na maioria dos casos relacionados, é que tanto as pequenas lojas, quanto as grandes redes nacionais, tem adotado o modelo de negócio de maneira contundente para atrair seus clientes e mantê-los por um tempo maior dentro do estabelecimento – aumento a possibilidade de venda em outras áreas da livraria. Claro que a união foi adotada por aqui em paralelo à uma tendência mundial, no entanto, a relação não é nada nova mesmo aqui no pais. Todavia, a cafeteria (como agregador ao restante da loja em si) tem ganhado cada vez mais espaço na livraria, muitas vezes, estabelecendo o sucesso ou fracasso de uma empresa nesse mercado. Os elogios a essa relação vem também do apelo desse produto junto ao leitor, embora tenha venha estendendo seu cardápio no intuito de agradar o gosto do cliente, e visando a atenção de um público novo e interessante a livraria em geral. 

As livrarias querem vender mas também deixar seus clientes mais tempo na loja

As livrarias querem vender mas também deixar seus clientes mais tempo na loja

As livrarias também tem estado atentas a demandas do mercado que apresentem uma relação com o livro, e diversifiquem o público aumentando as vendas relacionadas. Um exemplo claro disso está na atual venda de discos de vinil em algumas lojas, inclusive nas grandes redes. Embora pequeno, o mercado citado possui um publico fiel, que investe bastante no produto, e leitor em quase sua totalidade. Outro apelo recorrente tem sido os eventos dentro do espaço da livraria. Clubes de leitura, encontro de blogs, e lançamento de livros e quadrinhos, tem ganhado mais espaço na medida que a união entre leitores com gostos em comum tem se fundamentado, principalmente, nas redes sociais. 

É claro que, expor benefícios, ou deméritos, sobre um dos serviços acima abordados, não significa uma verdade absoluta em termos gerais. É de suma importância, citando novamente artigo publicado na Revista da ANL, que o lojista tenha em mente as possibilidades do mercado, e o público em potencial, que o cerca. Nem sempre a adoção de produtos diferentes, mesmo ligados por coerência ao livro, são garantias de sucesso. Como já afirmados no começo desse texto, agregar diferentes mercadorias, ou serviços, na livraria, como tanto ser algo positivo, como não.

Comente

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>